Coroa do Tinder

Localização desconhecida

76 hits ID #2080

Descrição

Nathy havia acabado um namoro recentemente e estava naquela fase de curtição. Saía muito com as amigas, altos porres. Sempre dançando, e ficando com vários caras, nessa empolgação baixei o tinder, e lá conheceu um rapaz, na verdade, um homem de 48 anos, barbudo, não bonito, mas parecia muito elegante, e acabaram dando match. Conversaram um pouco, mas ela não ligou muito para conversa dele, e acabaram que não se falando mais por dois meses, mas mantinham um ao outro no whatsapp. Numa sexta-feira ao chegar do serviço e estando muito afim de sair para um barzinho e na empolgação postou isso no seu stories. Ele viu e a chamou para ir beber uma e tal, assim se conheceriam melhor e acabou convencendo-a, e após tomar um banho e colocar um vestidinho de alcinhas foi. Quando cheguei no bar indicado, ele era bem diferente das fotos, não lhe agradando em quase nada, pois era meio calvo e gordinho, mas tinha lindos olhos azuis. Era bem humorado, e conversaram muito. Super galanteador, ficava falando que ela estava muito linda, que era mais gostosa pessoalmente, que nunca tinha saído com uma novinha tão linda e tal… Ela, por sua vez, só queria ir embora porque já estava de saco cheio dele, passando a mão na coxa dela e tal. Ele pediu tequila e ela resolveu beber um pouco, antes de ir para casa. A bebida a deixou super acesa, ficando meio mole, e ele aproveitando da situação a beijou com gosto, muito safado, explorando sua boquinha com a língua, mordiscando seus lábios devagarinho, deixando-a muito tesuda. Ele cochichou no ouvido dela, que conseguia ver o biquinho dos seios pelo vestido e queria mamar. Rindo muito da situação, ela bebeu ainda mais e ele continuou provocando-a e chupando a língua dela em beijos calientes. Então a chamou para irem ao motel ali perto, só para ficarem à vontade e conversar, assim ele disse. Mas mesmo repetindo para si mesma mil vezes que não daria para ele, afinal, ele tinha quase a idade do seu pai, e com certeza se arrependeria depois, acabamos indo para o motel, no carro dele. No trajeto ela pode perceber que o pau dele já estava bem duro, e mal chegaram no quarto, ele já colocou as mãos espalmadas na bundinha dela, apertando-a toda. Ela o repreendeu e ele parou e depois abriu um whisky. Tomaram um pouquinho e ele começou a lhe beijar de novo e fazer elogios, perguntando coisas bem sexuais, por exemplo, se ela já tinha feito anal, e como se a buceta era lisinha ou tinha pelinhos. Ela, alterada pela bebida, respondeu, que era linda e ele pediu para deixá-lo ver, no que ela negou rindo muito, mas era um riso de tesão, de quem estava a fim de uma boa trepada. Ele disse que pau dele pulsava muito e pediu se poderia tirá-lo para mostrar um pouquinho para ela. Ela disse que sim e ele tirou para fora da calça, um pau grosso e veiudo, com a cabeça toda babada e começou a pedir uma chupadinha alegando que era culpa dela estar assim, e ela já louca de desejo decidiu mamar. Engoliu o cacete inteiro com a boca, subindo e descendo no mastro com muito tesão. Ele gemia gostoso, metendo na boquinha dela que continuava amando muito a cabecinha rosada dele enquanto ele ofegava de prazer. Aí ele pediu para ver e pegar nos peitinhos dela e ela o deixou apalpá-los. Os biquinhos ficaram durinhos e ele implorou para chupar. Só uma chupadinha não faz mal né? – ele disse Ela tirou o vestido e ficou só de calcinha preta. A buceta lisinha mastigava a calcinha toda. Ele passou o dedo na gruta babada e ela o repreendeu. Ele pediu desculpas e ficou mamando os peitinhos com voracidade, mordendo os biquinhos e brincando com eles, enquanto o pauzão roçava gostoso na perna dela, deixando-a muito excitada, no que ele se aproveitou para meter o dedo na buceta. Afastou rapidamente a calcinha e o dedo escorregou para dentro, sentindo-a toda molhada. Sem controle da situação, ela arreganhou as pernas e pediu pra ele chupar seu grelo. Era tudo que ele mais queria e sem questionar, desceu e abocanhou a xota com gosto, lambendo mel que exalava, chupando muito o grelo durinho o qual parecia um pequeno pênis. Nathy gozou gostoso na boca dele, rebolando muito. A bucetinha estava sensível e ele foi metendo o pau com tudo, dizendo que ele era muito tesuda e só queria experimentar um pouquinho. Já que ele já tinha metido, ela ficou com pena e deixou, pois já tinha gozado. Ele foi metendo o pau até o talo e ela falou que já estava na hora de tirar, ele fingiu que não ouviu e continuou comendo a buceta. Ela o mandou tirar o pau e colocar pelo menos uma camisinha, ele disse que já faria isso, e começou a esfregar o grelo e deixando-a doida. Aí foi a vez dela pedir para ele não tirar aquele cacete de dentro dela. O pau era muito grosso, preenchia toda a xota, o atrito era gostoso demais. Ele enlouqueceu quando a ouviu pedir para continuar se metendo, na bucetinha dela sedenta que mastigava muito o pau, sempre muito gulosa quando se tratava de levar rola. O pau entrava até o talo, se espremendo nas paredes da xota e ele gemia dizendo que ela tinha um bucetão delicioso. Ele saiu de dentro e a colocou de quatro. Deu uma cuspidinha no cuzinho dela e encaixou a cabecinha no buraquinho, mal encaixou, começou a empurrar. Ela urrou de dor e tesão. O cu espremia muito o pau e ele adorou aquilo. Dando tapinhas na bunda, chamando-a de puta e cachorra, puxou o seu cabelo e ela rebolou gostoso, sentindo seu cuzinho rasgar. Quando ele se largou em cima da cama, foi até um armarinho onde tinha próteses penianas que o motel fornecia para compra e tirou um consolo grande de lá, rasgou o saco e mandou mamar aquela rola. Ela chupou até deixar todo babado, muito curiosa para saber até onde ia aquilo… Ele a pôs de quatro e enfiou tudo aquilo no cuzinho dela. Sentou-se no sofá, bebeu whisky e deu para ela beber também. Ela bebeu meio copo, e ele esfregou buceta dela que queimava de tesão, depois se sentou de perna aberta e a mandou sentar no pau dele. Ela subiu nele e encaixou o pau na entrada da bucetinha. Ele erguendo o quadril cravou na buceta com força, fazendo-a dar um grito algo que o motel inteiro escutou, e começou a cavalgar sedenta, com aquele pau comendo a xota e o consolo rasgando o cuzinho. Certo momento, já estava tão excitada que gozou no cacete dele igual uma louca. Gritando muito, implorando para ele fode-la e comer sua buceta. Ele começou a meter mais forte fazendo com que a buceta mastigasse a rola porque ela já estava gozando novamente. Logo ele gozou muito dentro dela, chamando-a de puta safada. Ela se levantou com a buceta escorrendo gozo e o deixou fotografar, sem mostrar seu rosto. Logo ele se excitou de novo e cravou o pau na xota dela outra vez, indo por cima, segurando as pernas e cravando fundo, arregaçando bem a buceta. Ela estava novamente louca no pau daquele macho, e a buceta engolia, pedindo por pau. Ele encaixava muito gostoso, cada bombada a deixava mais alucinada e cheia de tesão, era uma delícia. A bucetinha muito gulosa, era bem pequena e mal cabia o pau, mais engolia até o talo, muito safada. Seu grelinho rosado estava bem duro de tanto gozar e o melzinho escorria misturado com o gozo dele, naquele vai e vem frenético. Ela dava a buceta com muito gosto, gemendo e empurrando a xota para frente para ele meter o cacete inteiro. Implorava para ele esbagaçar a xoxota aos gritos, para o motel inteiro ouvir. Ele era muito safado, e chamava-a de putinha, safada, cabritinha e cravava o pau bem forte até o fundo da bucetinha. A colocou de joelho e ela foi, bem safadinha já de quatro, mamando o cacete todo, engolindo tudo, enquanto ele gemia, chamando-a de cadela. Com o grelo muito duro de tesão naquele roça, roça, ficou louca e gozou no pau dele outra vez, com a buceta tremendo de tesão e pedindo pau cada vez mais. Ele foi socando o pau bem forte, abrindo-lhe as pernas para aproveitar que xota estava mastigando o cacete todo. Continuou esfregando o grelinho fazendo-a gozar em seguida duas vezes, um orgasmo múltiplo como ela nunca teve na vida. Sua buceta tremia muito e gritava louca de tesão quando ele a inundou com porra muito grossa, caindo ao seu lado na cama exausto, dizendo que finalmente ela tinha liberado a buceta para ele. Como recordação desse dia, ele a presenteou com o consolo e depois disso, nunca mais ela saiu com homens mais novos, e ainda deu muitas outras vezes para ele, pena que depois descobriu que ele era casado.

Contatar Bernard